Coca Cola: "não importa de onde as calorias vêm!" Oi?!



Assista à peça publicitária aqui!

Essa propaganda da Coca começa explicando que a companhia deseja conversar sobre um problema que afeta a todos: a obesidade. Então fala sobre a consciência da empresa sobre a questão e afirma que tem se esforçado para diminuir as calorias em suas bebidas, apresentando versões com redução de calorias ou zero caloria. Também afirma que voluntariamente passou a abastecer as máquinas de escolas com águas, sucos e refris de baixa ou zero caloria (uau, hein?). Mais para o final da peça, há um trecho que traduzo integralmente a seguir: "Mas para vencer a obesidade todos temos que agir baseados em um simples fato de conhecimento público: todas as calorias contam! Não importa de onde elas vêm! Incluindo Coca Cola e qualquer outra coisa com calorias. E se você comer ou beber mais calorias do que você gasta, você ganha peso!"

Não, meus amigos! Não, papais e mamães! Não, crianças! Isso não é verdade! De onde as calorias vêm importa, e muito! Importa mais que a quantidade delas, inclusive! Dividir 2 mil calorias diárias em 1400 de McDonalds + 600 de Coca Cola é completamente diferente de ingerir 2 mil kcal em saladas, frutas, carnes, castanhas e ovos! Entendam que é cômodo, aliás, é fundamental para a Coca Cola insistir nessa mensagem. O futuro da companhia está em jogo ([email protected] a saúde da sua família)! Minimizar os problemas da Coca (e de outros refris e sucos industriais) às calorias e ganho de peso e incutir esse raciocínio na cabeça das pessoas é uma peça central para manter o consumo inocente e inconsciente do produto. Anos atrás eu tomava 2 a 3 litros de Coca por semana. Inocente, acreditava que os problemas se resumiam ao ganho de peso advindos das calorias (era o cliente perfeito, ignorante, domesticado) então, eu malhava todo dia para ficar tranquilo. Nunca associei as amidalites a cada 3 meses, alergias, falta de energia, pele oleosa, sono e fome permanentes a este e a outros péssimos hábitos alimentares.

Então gente, a mensagem correta é: foque na qualidade de sua alimentação, não nas calorias. Exclua alimentos industrializados. De preferência, risque açúcar e trigo da lista de compras. Quanto ao exercício, não se atenha a quantas calorias está gastando durante a atividade, hoje sabemos que a repercussão do estímulo pós treino é mais importante. Para o controle de peso, invista em atividades que tragam a sinalização de aumento da síntese proteica e ressíntese de glicogênio, nossos bons e velhos amigos, musculação e HIIT.

Um abraço
SHARE

Felipe Piacesi

Personal trainer. Se você está interessado em receber orientações individualizadas sobre como realizar seu treino de musculação, conheça o meu trabalho como coach.

    Comentários do Blogger
    Comentários do Facebook

0 comentários:

Postar um comentário